08002825480

Relacionamento entre sócios: garantindo uma parceria duradoura

Ler depois

Relacionamento entre sócios: garantindo uma parceria duradoura

Ler depois

“Uma comunicação clara é uma necessidade inquestionável para que um relacionamento funcione. Entendam que é preciso respeitar limites e dar espaço para que ambos tomem suas decisões”. 

Não, esse não é um post sobre casamento, mas sobre relacionamento entre sócios, como encontrar parceiros de negócios e manter uma sociedade estável e saudável. Confira:

Diz um provérbio africano que diz: “Se você quiser ir rápido, vá sozinho. Se quiser ir longe, vá acompanhado“.  Citado por Al Gore em seu livro Nossa Escolha – Uma Plano para Solucionar a Crise Climática, esse preceito pode ser aplicado a diversas áreas de nossas vidas e, no empreendedorismo, não é diferente.

Há muitas vantagens em estabelecer uma sociedade para começar uma empresa. Uma boa relação societária pode levar o negócio mais longe do que se você estivesse sozinho, mas isso não quer dizer que torne empreender uma prática mais simples ou fácil.

É muito comum que as sociedades tenham um fim inesperado ou que, pouco a pouco, a relação entre sócios fundadores se desgaste. Para evitar isso, preparamos algumas dicas que podem ajudar a manter relacionamentos saudáveis e duradouros entre sócios, possibilitando que seu empreendimento prospere ao máximo. Ficou curioso? Vamos começar!

Alinhem objetivos e expectativas

A primeira coisa que você deve se certificar é: você e seus sócios estão alinhados em relação ao que desejam atingir e aonde querem chegar com o negócio? Nesse momento, não estamos falando sobre quantias exatas de faturamento em determinado período de tempo (apesar de o tamanho esperado do negócio ser um assunto relevante), mas de estratégias, valores, missão e visão para o negócio. Assim, é importante ser o mais claro possível em relação às ambições que possui e ao esforço esperado de cada membro.

Pense na seguinte hipótese: um sócio proprietário pode acreditar que o melhor caminho para a empresa seja crescer o máximo possível, em pouco tempo, para vendê-la a uma companhia maior.Porém, caso a visão do outro seja diferente, e ele almeje, por exemplo, construir um negócio que mude os padrões do mercado em um esforço de longo prazo, sem a interferência de investidores ou capital externo, provavelmente acabaria entrando em conflito com seu parceiro de negócios em algum momento.

Objetivos e interesses são fatores importantes que devem ser discutidos clara e abertamente antes do estabelecimento e assinatura do contrato. Assim, é possível minimizar riscos futuros e tentar assegurar que a formação da sociedade será viável. Retornar a esses aspectos e conversar sobre eles também pode auxiliar em momentos de crise após a formação da sociedade.

Registre em contrato todas as contribuições e expectativas

Existem diversos fatores que podem gerar desacordo entre sócios. Por isso, prestar atenção à estrutura societária que foi acordada no começo da formação da parceria é fundamental. O contrato existe para que possam ser devidamente estabelecidas linhas bem claras, relativas às relações financeira, de responsabilidades e de confiança entre os sócios. É importante prestar muita atenção nesse momento, pois um acordo transparente — com responsabilidades e direitos bem definidos — é um fator que  colabora bastante para o bom funcionamento da sociedade.

Uma sociedade conta com duas características principais: a capitalista e a personalista. Toda sociedade possui uma proporção entre essas duas feições, sendo que as predominantemente capitalistas são mais focadas na divisão de quotas sociais e na contribuição financeira. Por outro lado, as de ênfase personalista têm como elemento crucial a confiança entre os sócios, também chamado de affectio sociatis.

Considerando a importância dessa relação de cumplicidade, as contribuições de cada um devem ficar bem demarcadas. No contrato, deve ficar claro o esforço laboral e intelectual esperado de cada um, assim como as funções de cada sócio. 

Para que a relação firmada seja honrada e tenha sucesso no longo prazo, as condições acordadas devem ser respeitadas. Isso é fundamental no aspecto da relação entre os membros e é igualmente crítico no aspecto legal e contratual. Para que a sociedade possa se sustentar legalmente, é necessário manter o affectio sociatis, que citamos anteriormente. Caso um sócio não esteja cumprindo com suas obrigações, ele está violando o acordado, arriscando a sociedade e, por gerar quebra de confiança, pode fazer com que a relação seja desfeita.

Respeitem as responsabilidades de cada um

Feito o alinhamento de expectativas, tanto de esforços laborais e intelectuais quanto financeiros, é muito importante, como já citamos, manter uma relação de confiança e respeitar o que foi acordado.

Caso você ainda esteja em busca de sócios ou já esteja avaliando possíveis candidatos, analise como vocês se complementam, tanto no que se refere a expertises e conhecimento, quanto no modo de pensar e agir. É muito comum que sócios de uma empresa sejam amigos e achem que, apenas por essa afinidade, terão sucesso juntos em um novo empreendimento. Contudo a realidade não é essa. Embora existam casos de sucesso, muitas amizades são desfeitas devido a conflitos nos negócios. Afinal de contas, “amigos, amigos, negócios à parte”, o que, inegavelmente, é lamentável.

Observem como flui a sinergia entre vocês e quais tarefas se ajustam melhor ao perfil de cada um. Feita essa decisão, entendam que é necessário respeitar limites e dar liberdade e espaço para que ambos tomem suas decisões dentro de suas responsabilidades.

Isso não quer dizer que você não possa dar sua opinião ou cobrar algo em atraso, por exemplo. Contudo, é saudável saber agir moderadamente para que cada um sinta que tem voz própria e valor dentro da empresa.

Valorizem a importância da boa comunicação

Mesmo que as três dicas anteriores sejam fielmente atendidas, de nada adianta sem uma boa comunicação entre sócios. É fundamental que seja sempre reservado um tempo para que possam conversar, entender as perspectivas de cada um e sempre buscar o realinhamento de expectativas e objetivos.

No fim das contas, para a boa comunicação, é essencial ter empatia, ou seja, a habilidade de se colocar no lugar do outro e entender sua posição, e, assim, agir da melhor maneira possível. Além disso, com conversas frequentes, a resolução de problemas será mais rápida também. Não é nada saudável acumular temas mal resolvidos, pois o quanto antes algo for feito a respeito, menos dano será causado.

Um sociedade é realmente um casamento, inclusive com regime de bens e divisão de guarda. Além da questão contratual, há, ainda, toda a dinâmica de um relacionamento, com convivência diária, DRs, brigas, reconciliações e dramas.

Uma comunicação clara entre parceiros de negócios é uma necessidade inquestionável, assim como é essencial para que um casamento funcione. Os sócios precisam demonstrar empenho e mostrar que jogam no mesmo time a fim de superar as diversas dificuldades que irão enfrentar.

E, parafraseando Alexandre Dumas, sempre é bom lembrar que, quando um fardo é muito pesado, “são precisos dois para carregá-lo. Às vezes três”. Gostou das nossas dicas? Então, compartilhe este artigo nas suas redes sociais e ajude seus amigos e demais contatos a aproveitar esse conteúdo também!

E se quiser ficar por dentro do universo de gestão e empreendedorismo, preencha o formulário abaixo e receba semanalmente mais dicas e novidades.

 

Leia Também