08002825480

Hub, switch ou roteador? Entenda a diferença

Ler depois

Hub, switch ou roteador? Entenda a diferença

Ler depois

Hub, switch e roteador são hardwares necessários possuem uma mesma função, que é de conectar uma rede de computadores à internet, mas você sabe qual é a diferença entre eles? Entenda suas funcionalidades e analise qual melhor se adequa à sua empresa.

Configurar uma rede para empresas exige a instalação do hardware adequado. Dependendo de quantas máquinas permaneçam ativas, indica-se a instalação de um hub, switch ou de um roteador. Existe, ainda, o híbrido hub-switch.

Normalmente, a escolha por um desses três aparelhos gera mais confusão do que deveria. Isso acontece porque, em sentido amplo, todos eles têm a mesma função, que é de conectar uma rede de computadores à internet. Como saber, então, qual desses aparelhos é o mais indicado para a sua empresa?

Acompanhe o artigo até o final e saiba diferenciá-los, a fim de escolher a melhor solução tecnológica.

O que há em comum entre hub, switch e roteador?

switch

Embora sejam hardwares com formas de funcionamento bastante distintas, hubs, switches e roteadores cumprem o mesmo papel. Portanto, antes de detalhar o funcionamento de cada um, é importante compreender o significado dos termos abaixo.

  • WAN (Wide Area Network) — rede mais ampla de computadores interligados e que cobre uma região, que pode ser um bairro, cidade ou mesmo um país inteiro;
  • LAN (Local Area Network) — como o nome já deixa claro, trata-se de uma rede local de computadores, que pode ou não estar ligada a uma rede WAN;
  • Endereço IP — código de identificação de um aparelho ou dispositivo eletrônico conectado à internet. Como uma carteira de identidade, cada computador tem o seu.

Hub

Em tradução livre, hub nada mais é do que um ponto central. Nele, conectam-se computadores de uma LAN, que recebem sinal por seu intermédio. Hubs são os hardwares mais antigos utilizados para ligar computadores em rede, portanto, é natural que sejam os mais limitados em termos técnicos.

O mecanismo de funcionamento de um hub é, de fato, bastante arcaico, se comparado aos hardwares mais modernos. Há quem diga que o hub é um dispositivo um pouco limitado, tudo porque, ao enviar um sinal para uma máquina ligada em uma de suas portas (entre 8 e 32), o hub não o faz diretamente.

Esse sinal é repassado para todos os computadores conectados, até que o seu verdadeiro receptor seja encontrado. É como se um carteiro, antes de entregar a correspondência na sua casa, passasse em toda a vizinhança perguntando pelo destinatário.

Por esse motivo, redes conectadas a hubs são altamente vulneráveis a ciberataques, além de serem muito mais lentas. Como a “via” fica bloqueada até o sinal ser distribuído, a conexão com a internet através de hubs é bem mais demorada.

Como já dissemos, são equipamentos obsoletos, pouco eficazes atualmente. A informação hoje é compartilhada em um ritmo muito mais intenso, o que exige grande velocidade na transmissão de dados, o que os hubs não conseguem suportar.

Switch

Se hubs são considerados limitados por não conseguirem entregar o sinal de internet diretamente ao seu destinatário, switches podem ser considerados equipamentos mais complexos. Quando um switch recebe dados de um computador remoto, que pode estar na rede WAN, ele os repassa diretamente ao destinatário.

Portanto, essa seria a principal diferença entre hub e switch. Enquanto o primeiro não tem o menor pudor em expor os dados a todos os computadores a ele ligados, o segundo os repassa apenas ao IP que realmente deve recebê-los.

Esse repasse de dados direto torna as redes ligadas por switches mais ágeis. Como não há congestionamento de dados, o fluxo segue sem interrupções. A única situação em que pode haver lentidão é quando duas ou mais máquinas enviam dados para um único computador simultaneamente.

Há uma versão híbrida, conhecida como hub-switch, que nada mais é do que um switch com menos portas. Embora suporte no máximo até 24 computadores, seu funcionamento é similar ao de um switch, com a vantagem de custar o preço de um hub.

Não se pode deixar de destacar que um switch representa muito mais segurança para os usuários ligados em rede. Um aparelho consegue repassar dados diretamente aos computadores conectados, porque ele tem armazenados os IPs de cada um.

De qualquer forma, isso não impede a ação de hackers mal-intencionados, o que torna indispensável o uso de softwares de proteção, como firewalls, antivírus e antispywares.

Roteador

Se hubs são limitados e switches mais complexos, seguindo por essa linha, roteadores seriam extraodinários. Tudo porque o fluxo de dados transmitido por eles não segue um traçado linear e imutável, como nos outros equipamentos.

Roteadores também são conhecidos como routers, ou seja, esses dispositivos são capazes de selecionar rotas para que os dados sejam transmitidos com a máxima rapidez. A função do roteador, portanto, vai um pouco além daquelas a que se destinam os hubs e switches.

No geral, existem dois tipos de roteadores, que se diferenciam pelo tipo de rota que escolhem para os dados:

  • Roteadores estáticos — a rota escolhida sempre é a mais curta, não importa que esteja ou não congestionada;
  • Roteadores dinâmicos — são capazes de escolher caminhos alternativos, mesmo que sejam mais longos, para o fluxo de informações. O mais importante é que estejam com acesso livre.

Portanto, roteadores são equipamentos muito mais completos para transmissão de dados. Como são mais poderosos, são utilizados em grandes redes corporativas, em que centenas de máquinas estão interligadas. Essa característica também se explica pela propriedade que roteadores têm de transmitir dados entre redes distintas.

Roteadores são mais seguros

Hub switch roteador

Routers contam com firewalls em suas configurações, tornando-os exponencialmente mais seguros, se comparados com equipamentos similares.

Na verdade, os roteadores são capazes de interligar LANs entre si, e estas à rede WAN. Para empresas que necessitam de conexão permanente com a internet, trabalham em nuvem ou geram grande fluxo de dados, são os aparelhos mais indicados.

Até mesmo em residências, o uso do roteador tem se difundido cada vez mais, graças à sua maior plasticidade em termos de utilização, que pode ser tanto comercial quanto doméstica. É importante destacar sua diferença em relação ao modem, dispositivo que conta com apenas uma porta de conexão.

Entender quais são as diferenças entre hub, switch e roteador é muito importante para que sua escolha por um desses dispositivos seja pautada em critérios sólidos, pois uma escolha equivocada pode fazer com que sua empresa seja prejudicada.

Sua empresa com suporte pré e pós instalação

BANDA LARGA

BANDA LARGA

Na Oi pra Empresas seu negócio tem todo o suporte necessário antes da instalação.

Leia Também