Liderança feminina: aprenda como desenvolver a sua

Ler depois

Liderança feminina: aprenda como desenvolver a sua

Ler depois

A importância dos movimentos de emancipação feminina é inquestionável. Graças a eles, espaços e cargos que até então eram ocupados unicamente por homens têm sido conquistados e muito bem geridos por mulheres. Além disso, uma série de vitórias sociais fazem com que as vozes dessas líderes sejam cada vez mais ouvidas nos principais círculos de decisão.  

Com todo esse avanço, marcas e periódicos  já compreenderam que é fundamental atender às novas demandas do público feminino, cada vez mais consciente de sua posição na sociedade. Ora, a dona de casa assando frango enquanto espera pelo marido morreu já faz muitos anos e, mesmo ela, tinha sentimentos, opiniões e muito o que falar. Afinal de contas, Pagu já subia nos palanques bem antes de Amélia se tornar mulher de verdade.

Esse novo posicionamento publicitário e midiático aceita e entende que o público feminino não deseja apenas ser reconhecido por suas qualidades estéticas. Deter o título de “bonita” ou “prendada”  há muito deixou de ser algo relevante. Assim como os homens, as mulheres também desejam ser reconhecidas por seus atributos intelectuais e suas personalidades.

Elas querem, simplesmente, ser vistas como aquilo que são em essência e que conquistaram ao longo de anos de estudo e experiência acadêmica e profissional como qualquer um. Afinal, quem no mercado de trabalho não deseja ver seus esforços reconhecidos, principalmente enquanto líder? Contudo, a liderança feminina nas empresas ainda enfrenta uma série de desafios.

Independentemente do seu gênero, que é o que realmente não importa numa sociedade igualitária, aprender a liderar não é uma tarefa fácil. Se você deseja se tornar referência em liderança, continue essa leitura e entenda, principalmente, como inspirar e motivar pessoas, despertando o grande líder que há em você.

Quais são as qualidades de uma boa líder?

Essencialmente, líderes são pessoas que geram admiração de seus seguidores sem qualquer tipo de imposição ou tirania. Essa imagem do chefe tirano já caiu por terra há um bom tempo. Então, se você ainda tem esse modelo de referência, pode esquecer. Verdadeiros líderes investem na gestão orientada às pessoas, à cooperação, conseguem agir em múltiplas direções, são empáticos e não têm medo do novo.

Mulheres de coragem e pioneiras não são novidade, porém, se você é mulher, é importante compreender seu papel como desbravadora nesse momento histórico e social. Ninguém disse que será fácil, e, sim, você sofrerá algumas críticas, porém, mais do que qualquer outro, você precisará conduzir seus negócios com valentia, determinação e inovação.

Mantenha sua personalidade e não se abale com censuras que virão de ambos os gêneros. E lembre-se, tantos anos de provações fizeram com que as mulheres aceitassem bem ambientes inovadores e desafiadores, e a maleabilidade é uma vantagem competitiva de empresas que incentivam suas líderes.

Gerenciando equipes

Foco e dedicação também são características essenciais, porém, é importante ter visão holística dos negócios. Os anos de multitarefas e, principalmente, múltiplas jornadas de trabalho das últimas gerações de mulheres ensinaram a importância de observar os detalhes e manter o foco, mas sem esquecer do todo. Afinal de contas, passamos um bom tempo trabalhando em diversas funções sem poder esquecer das cobranças domésticas, independente de cargo e salário.

Empatia é outro atributo importante para grandes líderes. Saber colocar-se no lugar do outro é fundamental para manter uma boa relação, seja com sócios, colaboradores ou clientes.

Quais são os maiores desafios para a liderança feminina nas empresas?

Mesmo com as crescentes conquistas dos movimentos de equidade de direitos, ainda há desafios para a liderança feminina. Reunimos alguns deles a seguir.

Competição entre mulheres

Devido à forte influência de uma sociedade patriarcal, muitas mulheres foram educadas para “agradar” o sexo masculino, o que incentivou –  e ainda incentiva – uma forte competição e a criação de rivalidades em diferentes ambientes.

É comum ver colegas de trabalho, academia, faculdade, enfim, desdenhando umas das outra, seja pela aparência ou por algum “defeito”, tipicamente feminino, atribuído meramente por anos de status quo patriarcal. Vale lembrar que nada disso é relevante para o crescimento pessoal, emocional, intelectual ou profissional de ninguém.

Assim, a liderança feminina em empresas não só enfrenta dificuldades por parte de homens, que a recebem com desconfiança, como também por parte de algumas mulheres, que identificam na colega uma rival nos aspectos mais desnecessários possíveis ao ambiente profissional.

Releve todas os olhares, comentários e grilos e continue sua vida, mantendo o profissionalismo e suas competências técnicas. Mostre, principalmente, às suas colegas, que elas não precisam de qualquer tipo de aprovação masculina para crescerem. Foque sempre em suas qualidades e nas de seus colegas, observando, analisando e fornecendo feedbacks construtivos e com argumentos racionais. Líderes apoiam e mulheres fortes levantam outras. Lembre-se disso!

Cultura patriarcal

Relegada por anos ao segundo plano no ambiente organizacional, permeado por uma cultura patriarcal que pensa e atribui às mulheres tarefas como: cuidar da casa, dos filhos e se adornar; a mulher corporativa “perfeita” serve, arruma-se e “agrada aos chefes”, já que por anos não tiveram, em sua grande maioria, responsabilidades tidas sérias nas corporações.

Infelizmente, ainda é comum que clientes e parceiros tenham certa resistência ao lidar com profissionais do sexo feminino, independentemente de sua posição na empresa. Assim, além de dominar técnicas de negociação, é necessária uma certa paciência.

Infelizmente, ainda é muito comum que mulheres em cargos de decisão e liderança tenham suas conquistas desmerecidas e associadas a comportamentos que nada têm a ver com suas competências profissionais. Também é costume que as profissionais sejam constantemente interrompidas por seus colegas homens, que repetem ou concluem a ideia em desenvolvimento pela mulher, apropriando-se dela.

É importante ter paciência e se impor, pedindo novamente a palavra para que suas conclusões sejam ouvidas. Não tenha medo de se impor educadamente e retomar sua fala. 

Equilíbrio entre a vida pessoal e profissional

Apesar de haver um pedido de conscientização coletiva, vale lembrar que o papel de educar os filhos ainda é visto como uma função feminina. Portanto, a chamada jornada dupla ainda prejudica o avanço de líderes mulheres nas empresas.

Neste momento, é preciso força e determinação. Existem diversas profissionais e mães bem sucedidas em ambas as esferas de suas vidas. Desenvolva duas habilidades e competências e jamais se anule ou se coloque em segundo plano.

Peça ajuda, converse e explique seu desejo de crescimento e desenvolvimento. Se necessário for, informe ao responsável do curso que deseja fazer que talvez precise levar seu filho em alguns dias.

O que é preciso desenvolver para ter a liderança feminina como vantagem competitiva?

Tenha certeza que você pode – e merece – um cargo de liderança ou mesmo ser dona de seu próprio negócio de sucesso. Saiba agora como você pode desenvolver suas competências de liderança e, enquanto mulher forte, ajudar outras a se erguerem. Afinal de contas, é isso que um verdadeiro líder, independentemente de gênero faz: orienta, apoia e instrui.

Invista em campanhas de conscientização

Assédios, comentários maldosos e outras atitudes machistas podem ser combatidas com ações de conscientização e a criação de ambientes onde denúncias sejam ouvidas e corretamente encaminhadas, como bem demonstrou a campanha Time’s Up, em Hollywood.

Não permita que ações de conscientização pela inclusão feminina sejam restritas ao Dia da Mulher. Elas precisam estar na cultura de sua empresa, como um valor importante para que opere e se sobressaia no mercado.

Se você é dona do seu próprio negócio, pense e elabore num código de ética e encaminhe a seus colaboradores e parceiros. Invista em ações de inclusão, motive e empodere suas colaboradoras e clientes.

Instigue a capacitação de suas colaboradoras

Invista na capacitação e instigue a qualificação de suas funcionárias – e funcionários também. É importante que todos compreendam que podem, e devem trabalhar em pé de igualdade.

Fomente uma cultura corporativa de proatividade e inclusão

Diversas empresas pelo mundo já estão se beneficiando de políticas de igualdade de gênero e do incentivo à liderança feminina. Conheça exemplos como Mary Barra, CEO da General Motors, já alavancou as vendas da marca nos Estados Unidos, bem como na China e na Europa.

Paula Bellizia, CEO da Microsoft Brasil, tornou-se referência na indústria da Tecnologia da Informação e porta-voz de um pensamento mais inclusivo nas empresas.Vale lembrar que a multinacional criou a campanha #MeninasPodemProgramar, ampliando os caminhos profissionais e melhorando a presença feminina no setor.

E lembre-se: independente de seu gênero, todos possuem sonhos e, acima de tudo, os mesmos direitos.

Em busca de mais histórias sobre mulheres inspiradoras? Veja o post que nós produzimos sobre o assunto e recheie o seu dia com as lições dessas pioneiras! E não deixe de assinar nosso blog para ficar em dia com novidades de gestão, tecnologia e empreendedorismo.

Leia Também