Como vender pela internet: aprenda a lucrar mais

Ler depois

Como vender pela internet: aprenda a lucrar mais

Ler depois

O mercado de vendas pela internet está consolidado e em plena expansão. Com mercadorias expostas 24 horas por dia, as chances de aumento de vendas são bem grandes. Vai deixar seu negócio fora dessa? Veja como vender pela internet e lucrar mais nas linhas abaixo.

Fidelizar a clientela, aumentar o mercado consumidor e vender mais em tempos de crise. Esses são os desafios presentes diariamente na rotina de empreendedores, que precisam se reinventar constantemente para vencer a concorrência. Nesse cenário, estar presente no universo online pode ser um diferencial e tanto para competir com grandes empresas. Mas, como vender pela internet de forma eficiente?

Criar um negócio no ambiente digital se tornou uma forma de atrair o público àquilo que você tem a oferecer. O avanço da tecnologia já permite que uma significativa parcela da população tenha acesso a smartphones, e esse número só tende a aumentar.

Por outro lado, toda essa revolução possibilitou que micro e pequenas empresas inserissem seus produtos e serviços na rede mundial de computadores. Se no passado o custo de implementação de uma estratégia online era reservado apenas a grandes empresas, atualmente, por meio das redes sociais e de diversas outras ferramentas, vender pela internet está ao alcance de qualquer um.

Neste post, vamos explicar de que maneira é possível conquistar novos mercados e aumentar as vendas do seu negócio no ambiente digital. Vamos apontar as ferramentas mais adequadas e demonstrar como se desenvolve uma estratégia campeã na web. Boa leitura!

Primeiro, por que vender pela internet?

É muito comum que pequenos empreendedores tenham dúvidas e ressalvas quanto à necessidade e conhecimento técnico para começar a usar a internet a favor de seus negócios. Entrar em um ambiente desconhecido, com a exigência de um aporte de investimento, e ter de implementar novos processos são alguns dos pontos que podem afastar o microempreendedor da rede.

O medo do desconhecido é natural e, em certa medida, saudável para proteger a empresa de riscos desnecessários. No entanto, vamos apresentar alguns argumentos que podem ajudá-lo a decidir por entrar nesse novo universo e elaborar uma estratégia digital.

Baixo investimento inicial

Ao contrário do que muitos imaginam, vender pela internet não necessita de um alto investimento inicial. Na verdade, você vai precisar apenas de um bom plano de dados, um celular com uma boa câmera fotográfica e disposição para começar a mexer nas ferramentas e plataformas.

Criar páginas ou perfis nas principais redes sociais de divulgação — Facebook e Instagram, por exemplo — é gratuito. Você só vai precisar de sua criatividade para publicar postagens.

Para melhor posicionamento e divulgação, você também pode criar posts patrocinados e ampliar seu público nas diferentes plataformas de redes sociais. Atente para o valor e a segmentação do público-alvo para um bom desempenho da performance de sua estratégia.

Se você estiver disposto a investir um pouco, criar uma loja virtual está muito mais barato do que antes. Atualmente, já existem ferramentas que ajudam a desenvolver páginas de e-commerces bem mais simples. Após o investimento na criação, o custo mensal para manter o site é basicamente o de uma hospedagem em servidor.

Mercado em expansão

O mercado de vendas pela internet está consolidado e em plena expansão. De acordo com o site E-commerce Brasil, a expectativa é que o setor continue crescendo. Para se ter uma ideia, foram 8%, em 2016; 15%, em 2015; e 24%, em 2014.

Um detalhe importante: em 2015 e 2016, a economia brasileira sofreu uma das piores crises de sua história. Em ambos os anos, o Produto Interno Bruto do país caiu 7,2%, conforme registrou o portal G1. Ou seja, mesmo com a queda, o mercado online se manteve aquecido. Como o Brasil já mostra sinais de recuperação, as previsões para o mercado eletrônico continuam positivas.

Outro fator a ser comemorado é a democratização do acesso à rede e a inclusão digital. Mais de 61% dos brasileiros com idade superior a 10 anos possuem acesso à internet. O crescimento é causado, sobretudo, pelo aumento do número de smartphones em todas as classes sociais e em todas as regiões do Brasil.

Comodidade para quem compra

Não há dúvidas de que cada vez mais usuários têm interesse em comprar e receber seus produtos em casa. Em muitas cidades, o congestionamento e a violência são grandes e o dia a dia está cada vez mais corrido. As pessoas não têm mais tempo para pesquisar preços na rua e a internet se tornou uma excelente vitrine de comparação e visualização de produtos e preços.

Uma loja virtual fica à disposição para vendas 24 horas, todos os dias da semana. Caso você venda pelas redes sociais, o horário de atendimento via chat ou WhatsApp pode ser ampliado, abrangendo a parcela do público que precisa se comunicar fora do horário de expediente.

Mais lucro para quem vende

Com suas mercadorias expostas 24 horas por dia, seja nas redes sociais ou em seu site, suas chances de aumento de vendas são bem grandes. Mesmo para pequenos negócios locais, que atuam apenas em bairros, tanto as saídas de produtos quanto a visibilidade proporcionadas pela internet são uma ótima oportunidade para dobrar o faturamento e ampliar seu público, não apenas para além das fronteiras de seu bairro, mas também de seu estado!

Redução de custos com equipes de venda, aluguéis de lojas, assaltos a estabelecimentos… Devido a esses e muitos outros fatores, diversos comerciantes estão fechando suas portas físicas e migrando suas operações unicamente para o ambiente virtual, com atendimento exclusivamente via chat e telefone.

Como saber se seu produto pode ser vendido online?

Empreendedora analisa seus negócios e estuda como vender pela internet no notebook e no smartphone

Munido de um perfil nas redes sociais, você pode realizar atendimentos tanto nessas plataformas quanto pelo telefone fixo, móvel ou mesmo WhatsApp, e enviar seus produtos pelo correio. Tudo o que você precisa é de criatividade para chegar até o cliente e um bom atendimento para fidelizá-lo.

Se você já possui um empreendimento offline, não é necessário tirar outro CNPJ ou informar ao governo que você realizará vendas online. Até enquadramentos mais simples, como o MEI (Microempreendedor Individual), podem realizar transações pela internet.

Praticamente não existem restrições para a venda de produtos pela internet. Itens como roupas, sapatos, acessórios e objetos não têm regras especiais para serem comercializados. Poré, fique atento às regras impostas pela plataforma ou rede social escolhida para comercializar seus produtos.

O Facebook, por exemplo, possui normas especiais, que mostraremos a seguir.

Restrições em redes sociais e plataformas

Se você utiliza uma rede social ou uma plataforma, como o Mercado Livre, deverá consultar as regras de comercialização antes de montar o perfil do seu negócio. Leia com bastante atenção as políticas desses sites, antes de começar a utilizá-los para vender.

Os termos do Facebook, por exemplo, proíbem a venda de animais, armas e munições, serviços de jogos de azar e medicamentos para a saúde (sem autorização prévia da rede). Por outro lado, artigos comuns, como roupas, acessórios e objetos dos mais variados tipos, estão liberados.

Já o Mercado Livre, outra ferramenta de comércio online muito popular, tem bastante preocupação com a venda de produtos com direitos autorais. É proibido, por exemplo, oferecer:

  • Produtos que violem direitos de propriedade intelectual (CDs e DVDs, por exemplo);
  • Cópias não autorizadas de discos, filmes, jogos e outros itens;
  • Mercadorias disponíveis para download na internet;
  • Produtos falsificados ou réplicas;
  • Imagens ou textos utilizados sem autorização do autor;
  • Utilização de marcas e imagens de terceiros.

Venda de produtos que fora do estoque

Tenha um controle muito rigoroso do estoque da sua empresa ao anunciar e vender produtos pela internet. Vender mercadorias que não estão em estoque é crime e configura propaganda enganosa.

Por isso, sempre que anunciar, informe o número de itens disponíveis para comercialização. Assim que o armazenamento acabar, indique que o produto está em falta. Caso alguma venda tenha sido realizada, o cliente pode escolher outra mercadoria ou cancelar o negócio. Nessa hipótese, o valor da compra deve ser devolvido em dobro para o consumidor.

Ferramentas necessárias para vender pela internet

Interagir com o seu público por meio da internet exige que você conheça muito bem as ferramentas que serão adotadas pela sua marca. Se você já tem um negócio offline, é muito importante que você traga toda a identidade de sua empresa para o ambiente online. Sites, redes sociais, postagens e anúncios devem “falar a mesma língua” dentro e fora da rede.

Confira as principais ferramentas que dão suporte para qualquer estratégia online:

Atendimento pela internet

Pode parecer óbvio, mas nunca é demais lembrar: se você vai vender pela internet, é fundamental que você tenha uma conexão rápida e estável para realizar os atendimentos aos seus clientes por meio do WhatsApp ou de ferramentas de chat nas redes sociais, como Instagram e Facebook.

Ela será a base para a construção do relacionamento e fidelização da clientela do seu negócio. Por isso, não pode haver falhas na comunicação.

Smartphone

O uso da internet, por meio de um plano de banda larga empresarial ou do pacote de dados do celular da sua empresa, será muito importante para a plena execução e sucesso de sua estratégia. Lembre-se que é através dela que você faz postagens nas redes sociais, atualiza suas páginas de e-commerce e mantem um bom relacionamento com seus clientes.

Google Meu Negócio

O Google Meu Negócio é uma ferramenta gratuita, que possibilita ao empreendedor divulgar sua empresa nos resultados de pesquisa do Google e do Google Maps. Assim, quando alguém buscar pelo seu negócio, as informações que você editou aparecerão no resultado do buscador. Entre as funcionalidades que você pode definir, estão:

  • Endereço físico da sua loja/empresa (com o local indicado no Google Maps);
  • Informações para contato: endereço, telefone, e-mail, site;
  • Horário de funcionamento;
  • Fotos da empresa;
  • Notas e comentários de clientes;
  • Perfis em outras redes sociais.

Loja virtual (e-commerce)

Criar um e-commerce é um passo natural para quem já possui um negócio estabelecido offline. Ter uma loja virtual deve fazer parte da estratégia de vendas de micro e pequenas empresas, uma vez que amplia consideravelmente o alcance da marca.

Assim que colocado no ar, o site deve se tornar o centro das ações do marketing digital. Portanto, links patrocinados e postagens em redes sociais devem convergir para essa ferramenta.

Instalar uma ferramenta como o Google Analytics em sua página virtual ajudará na elaboração de táticas para captar clientes. Ela fornece, gratuitamente, estatísticas completas sobre visitas ao site, verificando a origem dos usuários que chegam ao site, via Facebook ou busca no Google, por exemplo.

Uma dica importante é ter um botão de compra de fácil visualização em seu site. É nele que o usuário clica quando deseja adquirir algum produto. Plataformas como PayPal e PagSeguro oferecem diversas opções de pagamento e são muito seguras.

Redes sociais

Se você ainda não está pronto para investir em uma loja virtual, mas deseja fazer uma experiência com vendas pela internet, as redes sociais são o melhor caminho. As barreiras de entrada para sua loja nessas plataformas praticamente não existem, o que torna o risco de insucesso muito baixo.

Redes sociais, como Facebook, Instagram e YouTube, já disponibilizam botões de compra em suas páginas. Assim, o usuário seleciona um produto sem precisar sair da plataforma. As opções de pagamentos são bem variadas, e a transação efetuada em diferentes canais, como no site do próprio vendedor, por exemplo.

Aumentar as vendas pelo Facebook é um objetivo que deve fazer parte da estratégia comercial de pequenas empresas. A rede social possui 102 milhões de usuários, ou seja, 45% da população do país. Além disso, a plataforma disponibiliza ao empreendedor ferramentas internas que auxiliam na divulgação de produtos.

Além do FacebookAds, que veremos mais à frente, a rede social também conta com grupos de vendas, nos quais é possível anunciar sem pagar taxas. A ferramenta de chat, o Facebook Messenger, também deve ser utilizada para atendimento aos clientes. Confira e atenda todos que entrarem em contato. O usuário não deve ficar sem resposta!

Plataformas de vendas

Plataformas de vendas — como o Google Shopping e Mercado Livre —, desempenham um papel de intermediário entre clientes e vendedores. Funciona assim: uma loja anuncia seus produtos nesses sites. Ao pesquisar por determinado produto, o consumidor pode comparar preços e características e escolher aquele que mais agradá-lo.

O Google Shopping, por exemplo, exibe mercadorias relevantes à busca realizada pelo usuário. O resultado mostra a foto do produto, os comentários de outros consumidores e o preço. Assim, quem realizou a pesquisa pode comparar as opções, clicar na favorita e acessar a loja que postou o anúncio.

A ferramenta é paga e o empreendedor precisa fazer uma integração com sua loja virtual através do Google Merchant Center. Normalmente, as plataformas de vendas e de e-commerce disponibilizam um arquivo com a listagem de produtos anunciados, chamado de Feed. Esse arquivo deve ser copiado para a plataforma do Google, a fim de realizar a integração.

WhatsApp

Utilizar o WhatsApp para vendas é outra alternativa que pode ser implementada por micro e pequenas empresas com baixo investimento. Com uma base de contatos, especialmente formada por clientes e conhecidos, você pode utilizar a ferramenta para divulgar novidades e atender interessados.

Outra ação bastante útil é criar listas de transmissão. Elas permitem o disparo de uma mensagem para contatos diferentes, com promoções ou cupons de desconto. Você pode criar uma lista para cada perfil de cliente ou para cada produto que você vende, por exemplo.

Como montar uma estratégia para vender mais?

Antes de começar a vender pela internet, você precisa desenvolver uma estratégia de atuação na rede. É importante escolher os canais, a forma de comunicação e identificar onde está seu o público-alvo. Para a execução de uma estratégia digital assertiva, você deve:

Planejar

A fase de planejamento é tão importante quanto a de execução. Antes de começar, pare e pense. Escreva suas ideias e tente responder às seguintes questões:

  • Por que desejo vender pela internet?
  • Quanto desejo faturar?
  • Qual é o prazo para atingir esse faturamento?
  • Quanto tenho para investir?
  • Onde está meu público-alvo?
  • Como vou atingi-lo?
  • Que métricas devo acompanhar para o sucesso do meu negócio?

Pelo menos duas respostas a essas perguntas merecem uma atenção redobrada por parte do empreendedor: onde está o público e como atingi-lo. São elas que vão ajudar a descobrir como vender seus produtos pela internet e em qual canal — redes sociais, Google, links e posts patrocinados etc. — seus esforços devem ser mais investidos.

Muitas redes sociais possuem nichos específicos. O Pinterest, por exemplo, é focado em moda e decoração. Assim, é muito interessante utilizá-lo se você possui um negócio voltado para moda, artesanato, arquitetura etc. Se você vende materiais escolares, por outro lado, talvez essa rede já não seja tão útil para o seus negócio. Por isso, é muito importante conhecer bem seu público para saber onde você irá encontrá-lo.

Use o Google a seu favor

Hoje, quando as pessoas precisam de alguma coisa, recorrem quase sempre ao Google, correto? Portanto, utilizar o buscador para anunciar seus produtos é muito importante para ter sucesso online.

Além do Google Meu Negócio e do Google Shopping, já mencionados neste post, o Google possui uma ferramenta de publicidade que não pode ficar de fora da sua estratégia digital: o Google Adwords.

Por meio do AdWords, o empreendedor consegue definir palavras-chave e vincular seus produtos a elas. Quando um usuário realiza a pesquisa com os termos selecionados, o anúncio aparece entre os primeiros resultados.

O custo do investimento é definido pelo empreendedor na hora de anunciar e o pagamento só acontece se alguém clicar na publicidade — é o chamado Pagamento por Clique (PPC). É possível definir o limite de gasto diário: ou seja, se você fizer as análises e investimentos corretos, o anúncio jamais estourará o seu orçamento.

Também existe o Custo por Mil Impressões (CPM). É uma estratégia mais específica, que pode ser utilizada em algumas situações cujo foco seja a exibição de anúncios, e não a quantidade de cliques obtidos.

O Google Adwords permite ainda o Remarketing, que identifica os usuários que já acessaram seu site. A partir de então, o Google inicia uma série de anúncios com mais frequência, quando esse visitante acessa sites que aceitam anúncios da rede de display do Google. Uma ótima forma, portanto, de expor sua mercadoria mais vezes para quem já teve contato com sua página.

Anuncie nas redes sociais

Para vender mais pela internet, por meio das redes sociais, você deve conhecer os serviços de publicidade disponibilizados por esses canais. De maneira geral, a publicidade online é bastante acessível a micro e pequenas empresas, pois permite definir o investimento conforme a realidade do negócio, assim como no Google.

Algumas das vantagens:

  • Grande alcance: como já vimos, só o Facebook abriga 102 milhões de usuários no Brasil;
  • Investimento acessível: é possível adaptar o valor dos lances para anunciar no Facebook e no Google, conforme os recursos financeiros disponíveis;
  • Acompanhamento dos resultados: você tem acesso a todas as métricas que envolvam o seu anúncio;
  • Segmentação: no Facebook você seleciona o perfil do público que deseja atingir.

Indique o número de unidades à disposição

Indicar o número de unidades à disposição nas publicações e anúncios é uma estratégia de venda muito usada e com resultados comprovados. A escassez traz a ideia de urgência e torna as mercadorias mais atraentes.

Então, promova a escassez em suas redes sociais e no seu site. Ofereça ofertas com tempo limitado ou informe que um número limitado de produtos está disponível por preço especial.

Divulgue provas sociais

As provas sociais nada mais são do que depoimentos positivos de consumidores sobre seus produtos ou serviços. Elas fornecem elementos que contribuem para o posicionamento da imagem da sua marca no mercado.

Assim, quando receber um comentário positivo, peça permissão de quem o concedeu e divulgue em seus canais de comunicação. A prova social ou avaliação é uma influência muito importante no processo de decisão de compra.

E o cliente, como fica?

Até agora, falamos bastante sobre estratégias e ferramentas para aumentar suas vendas na internet. Porém, e o cliente? Como ele fica nessa história?

Como todo negócio de sucesso, o cliente deve estar no centro de toda estratégia da empresa. O atendimento personalizado, por exemplo, é um dos grandes diferenciais que devem ser explorados por pequenas empresas. Com uma base menor de clientes, elas devem conhecer seu consumidor profundamente para competir com grandes corporações.

Os conceitos que regem o bom atendimento online são os mesmo que orientam a venda offline. O atendimento via chat ou WhatsApp, por exemplo, deve ser encarado da mesma maneira que uma conversa cara a cara.

Ser atencioso, conhecer muito bem o produto que está vendendo, saber ouvir e encontrar soluções para os problemas do consumidor são as características do bom vendedor, independentemente da plataforma que ele estiver. Caso você realize atendimentos por e-mail, estabeleça um prazo de retorno e cumpra-o. Isso é fundamental para uma boa avaliação do cliente.

Definir uma política de troca e deixá-la bem clara também é muito útil. Atualmente, por lei, o cliente tem até sete dias, a partir da data do recebimento do produto, para solicitar a troca ou devolver a mercadoria comprada online por qualquer motivo. Porém, sua marca pode ir além, oferecendo brindes ou descontos na hora de resolver problemas e aumentar a satisfação de seu cliente. O importante é que tudo seja resolvido de forma rápida e positiva para ambas as partes.

Com essas dicas, com certeza você já tem alguma ideia de como vender pela internet e lucrar ainda mais. Aproveite esse amplo universo para conquistar mercados e impulsionar o faturamento da sua empresa!

Se quiser saber ainda mais sobre o mundo digital, preencha o formulário abaixo, inscreva-se em nossa news e fique por dentro de novidades e dicas de gestão, empreendedorismo e tecnologia.

Leia Também